Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Os jogos de azar são imprevisíveis, é certo.
A tômbola do Tribunal da Relação de Lisboa andava avariado há uns dias.
Hoje acordou e surpreendeu-nos com resultados surpreendentes, insólitos, ou do domínio da bruxaria.
O recurso de José Sócrates calhou ao Desembargador Agostinho Torres. Agostinho Torres foi Director Nacional Adjunto da Polícia Judiciária no tempo de Santos Cabral. Quem não se recorda da tômbola das ''remodelações'' das chefias na Polícia Judiciária no tempo de Alberto Costa?
A Carlos Santos Silva calhou-lhe, para agravar suspeitas infundadas, Maria da Graça dos Santos Silva. Não existe qualquer relação entre os interessados. O apelido é coincidência.
A tômbola do Tribunal da Relação desempenhou a tarefa e encargo espontânea e automaticamente, sem qualquer interferência nem vigilância das partes.
Nem o Euromilhões seria tão isento.
É o que se pode dizer para já. Também estava a dormir quando a tômbola acordou.

Agostinho Torres foi a primeira cedência de Santos Cabral, quando Alberto Costa, Ministro da Justiça de José Sócrates, foi pressionado para remodelar a Direcção Nacional da Polícia Judiciária.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

18:50


2 comentários

Sem imagem de perfil

De continuas a dormire a 02.02.2015 às 20:09

tadinho, será que ele é um novo vale e azevedo, é ?
Imagem de perfil

De MCN a 18.02.2015 às 20:41

Cá temos a falange demagoga, boçal, bacoca e governamental do Mário Machado.
Suponhamos que era o próprio Vale Azevedo. Por isso perdia o direito à garantia dos seus direitos fundamentais?
És tu quem escolhe a quem devem ser garantidos direitos fundamentais? Ser julgado com garantia de imparcialidade não é um direito fundamental?
Mas nota uma coisa. Se tu estivesses convencido de que tinhas razão, virias aqui com o teu nome.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Pesquisar

  Pesquisar no Blog